COMPARTILHAR

Desenvolver projetos de geração de renda, negócios e emprego, além de promover o desenvolvimento tecnológico e de inovação de 12 municípios que compõem a Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (RIDE-DF) estão entre os objetivos do Programa Integrado de Desenvolvimento Regional e Transformação Digital das Cadeias Produtivas e Municípios da RIDE-DF e Entorno (ExpoRide). A iniciativa é do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico do Distrito Federal (Codese-DF), com apoio do Codese Goiânia e da Associação dos Municípios Adjacentes a Brasília (AMAB).

Para essa empreitada, haverá capacitação de agentes públicos municipais e empreendedores, além de entidades do terceiro setor que atuam nessas cidades, beneficiando cerca de 1,7 milhão de habitantes.

Qualidade de vida

O embrião desse projeto é de 2019, mas só começou a ser colocado em prática, de fato, este ano, com o suporte da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF). “Essa é a primeira etapa, mas pretendemos concluir todo o programa ao longo de 3 anos”, anuncia o presidente do Codese-DF, Leonardo Ávila. “Há a fase de coleta de dados, com participação voluntária de moradores de cada cidade participante, e posteriormente virão outras etapas, as quais incluem capacitação e desenvolvimento das cadeias produtivas”. E acrescenta: “O grande objetivo é realmente melhorar a prestação de serviços públicos e a qualidade de vida da população”.

Leonardo Ávila: “Pretendemos concluir todo o programa ao longo de três anos” (Foto: Divulgação)

A diretora técnica do projeto, Rosane Valle, por sua vez, diz que a proposta não é complexa e parte da premissa de simplesmente ouvir o que a população tem a dizer. “A ideia é desenvolver o emprego e a renda nas regiões, para fazer com que as pessoas parem de migrar para outras localidades em busca de sustento”, resume.

Municípios beneficiados

Atualmente, a RIDE é composta por 33 cidades goianas e mineiras, mais o Distrito Federal, mas, por ora, devido à limitação de recursos, o projeto vai abranger 12 municípios: Águas Lindas de Goiás, Alexânia, Cidade Ocidental, Cocalzinho, Cristalina, Formosa, Luziânia, Novo Gama, Padre Bernardo, Planaltina de Goiás, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás.

“Precisamos agora de apoio e envolvimento dos outros municípios goianos, a fim de conseguir os recursos junto ao estado de Goiás para a realização do programa Exporide nas outras cidades da RIDE”, explica o presidente do Codese. “Ainda não conseguimos nenhuma interlocução com os quatro municípios mineiros ou alguém de Minas Gerais que pudesse nos ajudar nessa missão”.

Fase 1 do programa

No momento, o programa encontra-se na Fase 1, que consiste em quatro partes: diagnóstico e planejamento, com levantamento de dados para identificar as necessidades de cada lugar e adesão dos municípios aos objetivos estratégicos propostos pela Carta Brasileira para Cidades Inteligentes; os hackatowns, que são eventos imersivos ocorridos nos 12 municípios abarcados pelo programa e com mediação da equipe da ExpoRide; capacitação de gestores, agentes públicos e cidadãos atuantes em projetos públicos e sociais; e, ao final, a realização do evento ExpoRide, previsto para maio de 2024, em que serão apresentados os projetos elaborados pelo programa.

Maratonas de inovação

Sobre os hackatowns, eles são considerados verdadeiras “maratonas de inovação”, têm duração de um dia e contam, segundo Rosane Valle, com a participação de servidores públicos, lideranças comunitárias, formadores de opinião, professores, associações, cooperativas e população em geral.

Nessas ocasiões são sugeridas propostas de soluções para os problemas mais relevantes nos municípios, assim como projetos de desenvolvimento socioeconômico sustentáveis.

Na imersão são utilizadas abordagens de “gamificação”, um jogo para estimular a criação de projetos que gerem impacto positivo no desenvolvimento das cidades, com foco na geração de emprego e renda. Além disso, é enfatizado o uso estratégico de tecnologias sociais e de transformação digital. “Ao final de cada jogo, os projetos são apresentados, para que depois possam ser desenvolvidos e mais elaborados. Vamos selecionar, a partir disso, 32 pessoas”, diz Rosane.

Hackatown em Cidade Ocidental

Jogos e criação de projetos

A primeira localidade a receber o hackatown foi Cidade Ocidental. Ao longo da “gamificação”, os participantes puderam simular questões relacionadas ao município. “O nosso jogo simula a realidade da implementação de políticas públicas, baseadas no uso de tecnologias sociais em um ambiente de inovação, visando a melhoria do emprego e renda na cidade onde estamos jogando”, detalha o coordenador de ação dos hackatowns, professor Jorge Fernandes.

Jorge Fernandes: jogo para simular a implementação de políticas públicas (Foto: Divulgação)

Um dos participantes do evento foi o presidente do Coletivo Afro Cidade Ocidental, Paulo César da Silva. Segundo ele, o início pareceu um pouco confuso, mas logo compreendeu o cerne da atividade. “Aprendi muito acerca da realização de parcerias. Uma coisa, querendo ou não, depende da outra para algo melhor e produtivo”, define.

Paulo César: realização de parcerias (Foto: Divulgação)

O diretor comercial da HumanTEC Brasil (Humano e Tecnologia) da Cidade Ocidental, Vinicius Machado, também participou da gamificação e destaca que foi um momento divertido do evento. “O jogo mostrou de maneira lúdica sobre como criar um projeto para nossa comunidade, levando em conta questões como tempo, investimento e áreas de impacto”, relata. “Mostrou, ainda, que existem organismos dispostos a implementar políticas públicas de benfeitoria e abertos às boas ideias”.

Para ele, essa imersão foi uma oportunidade de refletir sobre seu potencial e ser um agente de mudanças no local onde vive. “Vi que posso ser um cidadão capaz de fazer algo pela minha cidade, por meio dessa ferramenta tão poderosa”, declara.

Vinicius Machado: o cidadão como agente de mudanças (Foto: Divulgação)

Anote na agenda

Há vários hackatowns previstos para este ano, sendo o próximo neste sábado, em Cristalina. Veja a programação:

  • 25/11 – Cristalina
  • 2/12 – Valparaíso de Goiás e Novo Gama
  • 6/12 – Cocalzinho de Goiás e Padre Bernardo
  • 9/12 – Luziânia e Alexânia
  • 13/12 – Santo Antônio do Descoberto e Águas Lindas de Goiás
  • 16/12 – Formosa e Planaltina de Goiás

Para participar, faça sua inscrição no site da Exporide: www.exporide.com.br/hackatowns.